Blog Tecnológico

Power BI: Conexões Import e DirectQuery para banco de dados

Bruno Battestin • 16 mai 2022 • Microsoft Power BI

Power BI: Conexões Import e DirectQuery para banco de dados

No Power BI podemos realizar importações de Pasta de trabalho do Excel, Texto/CSV, PDF e até mesmo a partir de links da WEB, mas um tipo de importação muito comum, principalmente em soluções empresariais, onde temos um fluxo maior de dados, é a importação de banco de dados. O Power BI tem a capacidade de se conectar a boa parte dos serviços de bancos de dados da atualidade, alguns exemplos são, Azure, MySQL, SQL Server, Oracle, ... e em boa parte deste existem 2 formas de conexão, Import ou DirectQuery: 

 

 

Import 


A conexão Import adiciona os dados da base de dados ao seu Conjunto de dados do arquivo PBIX, é como se fizéssemos um download dos dados para dentro de nosso arquivo Power BI, isso nos permite submeter estes dados a uma série de procedimentos, sejam estes de transformação ou análise, utilizando as linguagens M (Power Query) ou DAX (Power Pivot), tudo isso sem afetar a fonte destes dados, é claro.  

Este tipo de conexão é recomendado para bases de dados de tamanho e extensão moderadas, pois se fizermos uma conexão Import em uma base muito grande teremos problemas de desempenho no processo de desenvolvimento do relatório e principalmente em nossas publicações no Power BI Service e como URL da WEB. 

Para conexões do tipo Import, é possível configurar um Gateway de dados, que cria uma ponte entre seu computador (ou servidor), que contém a fonte dos dados e os servidores da Microsoft, permitindo numa conta Free até 8 atualizações agendadas diariamente, mas com uma conta Pro ou superior é possível configurar até 48 atualizações diárias. 

Vale ressaltar também que as devemos nos atentar no tamanho do arquivo PBIX a publicar e a licença do Power BI que temos, pois com uma conta Free ou Pro temos limite de 1GB para tamanho de conjunto de dados (arquivo PBIX, basicamente), mas com uma licença Premium já temos a capacidade de até 100GB. 

 

DirectQuery 

 

Já a conexão DirectQuery funciona com um conceito diferente, ao invés de “baixar” os dados para o Power BI, geramos apenas uma consulta direta aos dados que estão na base, isso nos limita em alguns pontos, pois uma vez que não temos dados “físicos” em nossa base, não conseguimos realizar qualquer tipo de transformação ou análise com as linguagens M ou DAX. 

Diferente da conexão Import, onde podemos nos conectar com inúmeras bases de dados num mesmo modelo de dados, com o DirectQuery podemos nos conectar a apenas uma base de dados do tipo DirectQuery. 

O DirectQuery é recomendado para grandes bases de dados, como por exemplo Big Data, onde temos muitos dados e por muitas vezes extensos.  

Para conexões deste tipo não é necessário criar um Gateway de dados para ter atualizações de seus dados, pois uma vez que nossa conexão é direta, sempre temos os dados mais atuais em nosso relatório. 

No caso do DirectQuery a regra de 1GB por conjunto de dados não se aplica, pois nossa conexão é ligada diretamente ao banco de dados e não tem o intermédio do conjunto de dados. 

Conhecendo estes 2 tipos de conexão podemos gerenciar com mais cuidado nossas importações de banco de dados, aplicando o tipo de conexão correta para cada aplicação. 

Gostou deste conteúdo?




 

 

Bruno Battestin

Bruno Battestin

Graduando em Engenharia da computação pela USJT. Apaixonado por compartilhar conhecimento e simplificar as tarefas do dia a dia. Atuando em tecnologia com Power BI.

Prvacidade e Proteção de Dados | ENG DTP & Multimídia

ENG DTP & Multimídia - Logo

 

 

ENVIE SEU CONTATO e SEUS COMENTÁRIOS

ENG DTP & Multimídia

ENG DTP & Multimídia. Todos os direitos reservados.
Nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.