Blog Tecnológico

Utilizando o BIM para criar áreas verdes funcionais e atrativas.

Leticia Almeida • 09 mai 2022 • Autodesk BIM

Utilizando o BIM para criar áreas verdes funcionais e atrativas.

BIM na Arquitetura: Paisagismo

Dentre as diversas vertentes dentro da arquitetura e do urbanismo, uma das mais importantes é o paisagismo. Este setor é responsável por criar ambientes verdes agradáveis e funcionais, promovendo detalhes construtivos que buscam soluções para espaços urbanos, levando em consideração todos os aspectos dos locais. Mas afinal, por que essa área é tão relevante para a espaço urbano e como o BIM pode ser usado neste processo de criação?

De fato, o paisagismo sempre esteve presente em diversos projetos ao redor do mundo, isso porque não se trata apenas de uma área verde destinada ao descanso dos usuários, por exemplo, mas que vai muito mais além disso, se tratando do conforto e do bem-estar de todos que irão circular por essas áreas em comum, sejam elas públicas ou privadas (residências, empresas, parques e cidades.), introduzindo intervenções no cenário urbano e em seus espaços livres, se voltando principalmente à valorização das áreas verdes.

Pensando nisso, com a metodologia BIM, podemos criar desenhos mais inteligentes, humizando-os e tornando melhor a compreensão de quem está contratando o serviço e não possui tanto entendimento da área, como ocorre com a maioria dos clientes. Além disso, é possível apresentar efeitos, texturas e cores que cooperam para uma melhor visualização da ideia que o arquiteto ou designer apresentou, de forma que os ambientes ficam muito mais claros e mais realistas, não somente aos olhos de quem não é profissional, mas auxilia também no processo de criação dos próprios paisagistas.

Dentre os principais benefícios do BIM para o paisagismo, temos:

  • Claro entendimento do layout do projeto;
  • Noção real de como o paisagismo vai funcionar em conjunto com o setor urbano;
  • Facilidade para entender as proporções dos espaços e das vegetações em comparação com o ambiente em que estão inseridos;
  • Apresentação didática da adequação do ambiente ao paisagismo;
  • Ativar a imaginação dos clientes;
  • Satisfação do cliente;
  • Maior entendimento da concepção arquitetônica idealizada;
  • Prevenir tomadas de decisões erradas.

Dessa forma, podemos concluir que, ao usar o BIM, conseguimos elaborar um projeto paisagístico de qualidade, sejam eles de pequena, média ou grande escala, como áreas de lazer, estudos, esportes, dentre outras e, neste contexto, também conseguimos extrair o máximo de informações contidas dentro de um modelo, tais como os parâmetros que auxiliam os profissionais e os clientes, como: a altura da árvore ao longo do tempo, o tamanho da raiz, as condições para implantação e eficiência de cada espécie, assim como outras informações que possam ajudar a complementar o projeto.

E então, o que você está esperando para migrar para o BIM e extrair as mais diversas informações, análises e visualizações sobre o seu projeto?

Gostou deste conteúdo?




 

 

Leticia Almeida

Leticia Almeida

Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela UNIP. Atualmente atuando como estagiária de arquitetura com foco em BIM.

Prvacidade e Proteção de Dados | ENG DTP & Multimídia

ENG DTP & Multimídia - Logo

 

 

ENVIE SEU CONTATO e SEUS COMENTÁRIOS

ENG DTP & Multimídia

ENG DTP & Multimídia. Todos os direitos reservados.
Nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.