Blog Tecnológico

AutoCAD e Revit: Sucesso no ensino Online ao vivo, em 5 passos

Susana Campos • 04 set 2020

AutoCAD e Revit: Sucesso no ensino Online ao vivo, em 5 passos

As estratégias de comunicação e educação estão sendo cada vez mais implementadas pelas novas tecnologias e permitem novas formas de exploração do conteúdo educacional.

As características intrínsecas do ensino à distância e meios de comunicação em uso faz com que o ambiente virtual de aprendizagem não seja apenas "um mero recurso, mas um instrumento diferenciado e singular que propicia a representação do pensamento, a interação recursiva, a construção do conhecimento, a troca de informações e experiências, permitindovisualizar e refletir o caminho epistemológico." (Almeida, M. E. 2001)

A comunicação via internet se dá através de vários vetores a um só tempo - (um para um, um para vários, vários para um,) em locais distintos, conectados em rede e com fluxo de documentos de diferentes formatos, (doe, pdf, gif, cdr, fotos, vídeos, gráficos, etc.). Além disto, os softwares de trabalho colaborativo (CSCW), aprendizagem colaborativa (CSCL) e Gerenciamento(LMS e CMS) organizam e controlam os fluxos. Como resultado, as interações possíveis entre os participantes são bastante diversificadas e ampliadas. A principal vantagem desta modalidade é a existência de integração das mídias num único meio ou veículo de comunicação: a Internet.

A verdadeira mudança de paradigma, no entanto, ocorre com a Internet e seus recursos (softwares, groupware, hardware), possibilitam maior interatividade entre os usuários e a criação de redes de comunicação, com seus variados fluxos. Isto sim representa uma mudança radical, capaz de criar uma maior sintonia entre a educação e as grandes mudanças ocorridas na sociedade,


"Obviamente, com a digitalização não desaparece o fio que conecta cursos,
participantes e conteudos, mas ele é inteiramente retecido. Os episódios de
aprendizagem se convertem em pontuações em um entorno muito mais amplo
que o horizonte acadêmico, meritocrático, formalista e solo-textual, substituído
pelas coordenadas das conversas multiponto e das inter-relações entre pares.
Os objetos de conhecimento interatuam entre si como na derivação natural
evolutiva; não seguem um plano, mas inventam seu próprio metaplano".
(PISCITELLI, 2010, p. 16) 

De acordo com novos modelos de ensino-aprendizagem têm-se as mais variadas dinâmicas de construção do conhecimento muito baseada na interação entre partes e conteúdo, resultando em experiências educacionais/instrucionais ricas e multifacetadas, que se desenvolvem no processo em si.

As formas de interação podem ser classificadas por funcionalidade, a saber;

Participação - intervenção a informação não é mais imutável, passa a ser moldada, através da intervenção do receptor. Nesse processo, se "altera a natureza" da mensagem, a fonte emissora "muda de papel" e o receptor "muda de status" (SILVA, op cit. p. 116-117).

Bidirecionalidade - hibridação: a unidirecionalidade fonte-emissor é questionada como concepção de comunicação, que passa a ser entendida como possível se emissores e receptores intercambiarem papéis. Deste modo, o emissor é potencialmente receptor, e o receptor, potencialmente emissor. A bidirecionalidade e a hibridação estão relacionados às mudanças de papéis dos agentes da comunicação, tornando possível a fusão de ambos na co-autoria.

Permutabilidade - potencialidade: este fundamento da interatividade tem sua máxima realização no hipertexto, mas é anterior à informática interativa e pode ser encontrada na arte permutatória1. Está relacionada à autoria das ações de alguém que não é mais receptor, espectador, pois interfere na obra que é inacabada e modifica-se a partir de sua intervenção, de sua colaboração. Torna-se assim co-autor a partir de permutas que a obra permite potencialmente. Silva parte da interatividade, alicerçada nos fundamentos citados, para "enfatizar a necessidade de modificar a modalidade comunicacional predominante na ação pedagógica presencial e a distância" (Ibidem, p.165) e afirma: "a interatividade, enquanto materialidade da ação comunicativa afinada com a "ética da tolerância", é perspectiva educacional em sintonia com o nosso tempo." (Ibidem, p. 178), (grifo do autor).

Através dos dispositivos de comunicação e informação, do desenho pedagógico do curso e dos objetivos de aprendizagem, a CVA adquire formato, proporcionando maior ou menor interatividade, de acordo com os objetivos educacionais do Projeto Pedagógico do Curso ao qual os alunos participantes das CVAs estão vinculados. A aprendizagem colaborativa apresenta-se como uma possibilidade de originar o saber coletivo, pois os dispositivos de comunicação, como chats e fóruns, possibilitam que grupo de alunos se empenhe na resolução de tarefas e na discussão de assuntos de interesse comum.

 

" ... um sujeito que procura ativamente compreender o mundo
que o rodeia e trata de resolver as interrogações que este mundo
provoca. Não é um sujeito à espera de alguém que possui um
conhecimento para lhe transmitir, por benevolência. É um sujeito que
aprende basicamente através das suas próprias ações sobre
os objetos do mundo, que constrói suas próprias categorias de
pensamento ao mesmo tempo em que organiza o mundo".
(FERREIRO, E. & Teberosky, A., 1985, ln: ROSA, 1994, p.34)

 

Tendo em vista a construção coletiva do conhecimento,os sistemas EAD configuram­se como sistemas de apoio a modalidade de educação assíncrona/síncrona, que possuem interface gráfica com características que facilitam a navegação e oferecem a possibilidade de escolha de ferramentas para a execução de atividades individuais ou em grupo, com ou sem tutoria.

Em projeto de arquitetura, o desenvolvimento de conteúdos que mesclam teoria e prática se revelam produtivos uma vez que a experiência educacional individual é implementada com as atividades propostas e resultante das interações possíveis.

O feedback do professor/instrutor é de fundamental importância no processo pois confere uma perspectiva avaliativa e pressupõe um resultado mensurável.

Adequação do conteúdo à interface e atratividade na forma de o disponibilizar, permite incremento de acessos e aderência dos alunos ao que está sendo ensinado.

A visualização de exemplos e sua contextualização apoiam a dinâmica educacional/instrucional e facilitam a compreensão do conteúdo.

Execução de atividades online, com a tutoria do professor, são especialmente eficientes e produzem bons resultados práticos, uma vez que dependem da participação ativa do aluno.
Bem vindos à nova ordem no universo educacional.

Gostou deste conteúdo?






Para nos enviar comentário, acesse.

 

Susana Campos

Susana Campos

Arquiteta e Urbanista, Especialista em Design Instrucional, tem ampla experiência docente em cursos superiores e em ATC, com destaque para os softwares AutoCAD e 3DStudio Max.

Prvacidade e Proteção de Dados | ENG DTP & Multimídia

ENG DTP & Multimídia - Logo

 

 

ENVIE SEU CONTATO e SEUS COMENTÁRIOS