Blog Tecnológico

Business Intelligence: Organização de Dados

Luca Caruso • 30 abr 2019

Business Intelligence: Organização de Dados

Com Business Intelligence e os treinamentos especializados da ENG DTP & Multimídia nessa área, a Organização de Dados para trabalhos de Business Intelligence fluirá naturalmente e os resultados serão Dashboards objetivos, interativos e de fácil compreensão.


O gerenciamento de dados já é realidade no mercado e tem como principal tendência o entendimento deles. Em ambiente corporativo cada vez mais orientado por dados (Data-Driven), há de se notar a crescente ascensão de busca por aprendizado nessa área. Por isso iremos propor um breve aprendizado básico para aprofundamento no tema.


“Mas gerenciar dados não seria apenas criar tabelas e relacioná-las, assim como as planilhas no Excel?” Na verdade, o conceito de Banco de Dados vai um pouco além disso.

Power BI

No modelo dimensional, os termos “Dimensão” e “Fato” referem-se a algo um pouco diferente do significado tradicional do qual estamos acostumados. Eles são caracterizados como os elementos que compõem a estrutura por trás de um Banco de Dados, ou seja, são as diversas “Tabelas” que se relacionam para ilustrar uma só Grande Tabela com toda informação processada. Um exemplo disso é o relacionamento entre tabelas de planilhas (aqueles recorrentes que estamos acostumados a fazer no Excel), nos quais:

  • Dimensões seriam as “tabelas” que contém as categorias (campos) a serem relacionados. Possuem informação QUALITATIVA.
  • Fato: seria a tabela central que de relaciona com todas as dimensões e possui as características de informação QUANTITATIVA para registros numéricos de processamento.

Abaixo uma estrutura dimensional padronizada:

Power BI

Considerando os tópicos abaixo, criaremos uma exemplificação de um banco de dados de um comércio varejista de móveis.

  • Dimensão Tempo: Hora, Dia, Mês.
  • Dimensão Produto: Nome do Produto, SKU.
  • Dimensão Localização: Cidade, Estado, País.

Baseado nas dimensões, será registrada uma linha no elemento Fato Vendas para cada venda processada, que poderia ser, por exemplo:

  • Fato Vendas:
    • Linha 1: no dia 1 de Março às 10 horas, foi vendida uma cadeira de SKU 123456 na cidade de Araraquara, no estado de São Paulo, Brasil.
    • Linha 2: no dia 30 de Maio às 14h37, uma geladeira de SKU 562837 foi vendida na cidade de Petrópolis no estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Abaixo uma ilustração desta etapa seguinte:

Power bI

Por fim, finalizaremos a estrutura da nossa Modelagem de Banco de Dados com mais um termo importante: o conjunto de Chaves.


As chaves são como uma coluna adicional em cada dimensão com um código único, linha por linha, que torna cada informação única e não-duplicada, um fator essencial para a eficiência dos relacionamentos entre dimensões no elemento Fato. É importante lembrar que além das dimensões, o fato também contém campos numéricos como: quantidade vendida, nota fiscal gerada, custo, etc.

Power BI

Percebem? Sem nem mencionar linguagem de programação elaboramos os registros de vendas de uma loja de varejo através da nossa simples estrutura criada. É super fácil de entender! Por meio desse aprendizado, o mesmo conteúdo pode ser replicado em diferentes plataformas de Business Intelligence e setores de mercado.


Ferramentas como Microsoft Power BI, QlikView e Tableau Software usam desses conceitos e permitem relacionar as informações ao melhor estilo Drag & Drop: com facilidade, interatividade e clareza na organização dos dados do seu negócio.

 

Luca Caruso

Luca Caruso é consultor de Business Intelligence na ENG DTP e Multimídia. Graduado em Marketing pela ESPM-SP e com experiências na indústria de tecnologia, com passagem na Adobe Brasil como analista de Channel Sales e Digital Marketing, gerenciando ferramentas de Big Data.

CONTATO