Blog Tecnológico

Plágio na Educação - Seus Tipos e Perigos

Flavia Mazzaferro • 09 out 2019

Plágio na Educação - Seus Tipos e Perigos

De acordo com a reportagem da Veja de outubro de 2018, 87% dos alunos chegam à universidade sem saber o que é plágio.

É importante que todas as pessoas, incluindo aqueles em posições mais elevadas dentro da Instituição, como professores, diretores, supervisores, etc, saibam quais são os tipos de plágio, assim o risco de comprometer sua integridade acadêmica, como também a integridade da instituição que o profissional faz parte, diminui.

Sistema Antiplágio

Conforme mencionado em artigos passados, é um risco que não vale à pena correr.

Vejamos agora, os tipos de plágio:

  • Plágio Textual: Esta categoria é a mais simples, e a mais fácil de ser encontrada. O plágio textual se caracteriza por cópia, reescrita ou até mesmo omissão da citação do autor original da obra;
  1. Dentro do plágio textual, temos o chamado Plágio Mosaico, que segundo Ken Kirkpatrick, é: "É o plágio que acontece quando o "plagiador" não faz uma cópia da fonte diretamente, mas muda umas poucas palavras em cada frase ou levemente reformula um parágrafo, sem dar crédito ao autor original. Esses parágrafos ou frases não são citações, mas estão tão próximas de ser citações que eles deveriam ter sido citados ou, se eles foram modificados o bastante para serem classificados como paráfrases, deveria ter sido feito referência à fonte". É um dos mais comuns, e a maioria dos softwares anti plágio não capta tais ocorrências;

Sistema Antiplágio

  • Plágio de Imagens (Não Textual): Esta categoria remete à cópia indevida de uma imagem pertencente a outra pessoa. Isso principalmente considerando que há imagens reservadas, que possuem direitos autorais, e a organização ou pessoa que é responsável por tal imagem pode denunciar a pessoa que fez a o plágio. Isso é muito importante até se considerarmos os direitos autorais, que se torna neces?ario o contato com o autor e obter autorização para usar o uso;

  • Plágio Audiovisual: Esta categoria está bem presente nos meios musicais e também em sites de compartilhamento de música e vídeo. Roteiros, músicas, arranjos musicais, os vídeos em si e outras criações intelectuais dessa natureza recebem proteção dos chamados direitos autorais, que possuem tutelas como:
    • O direito exclusivo de usar, fruir e dispor da obra;
    • O direito de ter certos aspectos da personalidade do autor preservadas, por exemplo, o crédito pela autoria.
    • Uma das consequências mais relevantes é que ninguém pode utilizar as obras de terceiro sem autorização – salvo algumas exceções bastante específicas;

  • Plágio de dados: Esta categoria se refere ao ato do plágio dos mais diversos tipos de dados numéricos, gráficos, históricos. Os tais dados em questão podem ser utilizados no trabalho de uma determinada pessoa, mas não foram levantados pela mesma, onde entra novamente a questão dos direitos autorais;

Por último, não é exatamente um plágio, mas devemos sempre lembrar que é necessário citar o autor. Sendo a citação direta ou indireta, mencionar a fonte bibliográfica é crucial em um desenvolvimento de trabalho acadêmico.

Conforme pudemos ver, temos os tipos de plágio sendo mencionados acima, e são os que mais tem recorrência nos meios de comunicação e também em estudos acadêmicos. Veremos no próximo artigo, sobre aqueles que usam métodos de burlar a detecção.

Flavia Mazzaferro

Flavia Mazzaferro

Professora especialista em Tecnologias de Informação e Comunicação que acredita verdadeiramente que a tecnologia pode transformar a maneira de aprender e ensinar.

É instrutora e consultora das tecnologias Google, Urkund e Adobe, atuando na ENG DTP & Multimídia.

ENG DTP & Multimídia - Logo

CONTATO